Gestão da Tecnologia da Informação: preconceitos de gênero prejudicam a carreira de mulheres que atuam na área?

  • Bianca Caetano da Silva Martins Franco Mackenzie
  • Aimar Martins Lopes Fatec
  • Vivaldo José Breternitz Mackenzie
Palavras-chave: Tecnologia da Informação; mulheres; gênero

Resumo

Estudos vinculados a área de Tecnologia da Informação são voltados para a área técnica, como analise e desenvolvimentos de sistemas, métodos de programação, etc; a questão do gênero feminino neste ambiente profissional são de poucos estudos. Partindo dessa asserção de que a área de TI possui um ambiente dominado pelo sexo masculino, buscamos explorar o lado de trabalhadoras no ramo, com foco em saber se elas se sentem prejudicadas em termo de crescimento profissional em função de gênero. Os procedimentos adotados para efetuar a pesquisa foram pesquisas bibliográficas voltadas para o tema e estudo de campo, extraindo dados e informações diretamente a mulheres que atuam na área em um período maior de 1 (um) ano. Obtivemos resultados onde 72% das entrevistadas constam ter o desenvolvimento de suas carreiras prejudicadas em função de gênero. A partir disto, vemos que é um desafio para muitas mulheres entrar e se estabelecer neste ramo, mas isto não é um empecilho para continuar na área. Quase 90% das entrevistadas informaram ser feliz trabalhando no âmbito de TI. Através das pesquisas bibliográficas e a pesquisa de campo, foi possível atingir o objetivo principal do trabalho que foi averiguar as grandes diferenças que se estabelecem entre homens e mulheres relativas à sua inclusão nos diversos campos profissionais da área de tecnologia da informação.

Palavras-chave: Tecnologia da Informação; mulheres; gênero

Referências

BRETERNITZ, V. J. Contribuições ao processo de construção de estratégias para a bancarização da população de baixa renda com o uso de dispositivos móveis. São Paulo. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2017.

CASTRO, B. Gênero e flexibilização do trabalho: Uma análise do setor de TI. Campina Grande: UFGC. 2011. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2017.

CASTRO, B. Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI no Brasil. Santo Domingo. 2013. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2017.

CONCEIÇÃO, M. C; OLIVEIRA N. S; MOREIRA, N. B; AZEVEDO T. C; SOUZA R. S. A percepção dos estudantes de graduação sobre o impacto da diversidade no trabalho em equipe de Tecnologia da Informação e comunicação (TIC). Belo Horizonte: Canais do XVII Congresso Brasileiro de Custos. 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2017.

DALMAZO, L. Mercado de TI com um toque feminino: No Dia Internacional da Mulher, executivas de TI mostram como contribuem para o setor. PCWorld, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2017.

DEVMEDIA. Engenharia de Software 2 - Técnicas para levantamento de Requisitos. 2009. Disponível em: . Acessado em: 24 fev. 2017.

ECCEL, C. S., FLACH, L.; OLTRAMARI, A. P. Relações de gênero e flexibilidade no trabalho de profissionais de tecnologia da informação de Porto Alegre: um estudo multi-caso. Natal. 2007. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2017.

HARRIS, S. G.; SUTTON, R. I. Functions of parting ceremonies in dying organizations. Academy of Management Journal, vol. 29, n. 1. 1986. Disponível em: Acesso em: 23 fev. 2017.
HYMOWITZ, C.; SCHELLHARDT, T. D. The glass ceiling: why women cant seem to break the invisible barrier that blocks them from the top jobs. Wall Street Journal Section, v4, n1, 1986. Acesso em: 09 mar. 2017.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE retrata o setor de serviços do país. 2007. Disponível em: . Acessado em: 09 mar. 2017.

JACKSON, J.C. Women middle managers’ perception of the glass ceiling. USA: MCB UP Ltd. 2001. Disponível em: < em: . Acesso em: 14 mar. 2017.

MACHADO, A. A participação da mulher em empresas de Software no município de Criciúma - SC. Santa Catarina: Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2017.

MAIA, M. M. Limites de gênero e presença feminina nos cursos superiores brasileiros do campo da computação. São Paulo: Cadernos Pagu (46). 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2017.

MALHOTRA, N. K. Introdução à pesquisa de marketing. São Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2006. Acesso em: 23 fev. 2017.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2001. Acesso em: 23 fev. 2017.
MJC, Ministério da Justiça e Cidadania. O que é divisão sexual do trabalho e como ela incide nas relações de trabalho? 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2017.

NUNES, D. J. Educação Superior em Computação, Estatísticas 2012. Sociedade Brasileira de Computação - SBC. Disponível em: < http://www.sbc.org.br/documentos-da- sbc/summary/133-estatisticas/772-estatisticas-educacao2012> Acesso em: 07 fev. 2017.

NUNES, J. H. Gênero e raça no trabalho em tecnologia da informação (TI). São Leopoldo: Ciências Sociais Unisinos, 2016. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2017.

OLIVEIRA, A. C. Perfil feminino em computação: Análise inicial. Belo Horizonte: Congresso da Sociedade Brasileira de Computação – CSBC. 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2017.

PINEDA, E.; GONZALES, C. Networking Skills in Latin America. Cisco. 2016. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2017.

PNAD. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Vol. 30. 2009. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2017.

POSSER, C. V.; TEIXEIRA, A. C. Mulheres que aprendem informática: Um estudo de gênero na área de TI. Rio Grande do Sul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2017.

ROCHA, C. T. C. Gênero em ação: rompendo o teto de vidro?: novos contextos da tecnociência. Santa Cataria: Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação Em Ciências Humanas. 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2017.

SALES, A.; CALADO, B.; SILVA, D. R. D.; MATTOS, G. de O.; MOREIRA, J. A. Dificuldades para o ingresso e permanência na ciência e engenharia da computação: Um olhar feminino. Recife: 18º REDOR. 2014. Disponível em: < http://www.ufpb.br/evento/index.php/18redor/18redor/paper/view/1936/854 >. Acesso em: 13 mar. 2017.

SCHWARTZ, J.; CASAGRANDE, L. S., LESZCZYNSKI, S. A. C.; CARVALHO, M. G. Mulheres na informática: quais foram as pioneiras? Caderno. Pagu [online]. n.27. 2006. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2016.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo. Atlas, 1987. Acesso em: 15 mar. 2017.

VENCESLAU, M. Falta de profissionais de TI se agravará no Brasil, diz IDC. EXAME. 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2017.
Publicado
2019-08-29
Como Citar
FRANCO, B.; LOPES, A.; BRETERNITZ, V. Gestão da Tecnologia da Informação: preconceitos de gênero prejudicam a carreira de mulheres que atuam na área?. Revista Brasileira em Tecnologia da Informação, v. 1, n. 1, p. 22-34, 29 ago. 2019.
Seção
Artigos