Computação Física: arte e ensino de programação

Autores

  • Claudia Baptistella Oliveira Faculdade Mozarteum de São Paulo
  • Cláudio Luís Vieira Oliveira Faculdade de Tecnologia de Jundiaí, Campinas e Bragança Paulista

Palavras-chave:

arte, educação, arduino, scratch, computação física

Resumo

O presente artigo vem apresentar uma ferramenta adicional ao ensino de lógica de programação de uma maneira mais lúdica, que permite entreter mais o indivíduo, trabalhando com o poder da criatividade proporcionando um maior aprendizado. A arte como instrumento de expressão, possui o potencial para transmutar o que não possui um atrativo imagético, em algo muito mais interessante, trazendo mais prazer no aprender. Transformar simples módulos eletrônicos em módulos temáticos e lúdicos, faculta muito mais interesse, aguça a percepção, melhora a expressão, a criatividade e a aprendizagem se tornam muito mais efetiva. O ser humano possui o direito de se expressar e interagir, bem como de se relacionar com ferramentas que ele um dia nem pensava em conquistar, trazendo ao indivíduo a inclusão que todos merecem. Observando o interesse das pessoas perante os módulos temáticos, foi possível notar que se comprovaram a eficácia das melhorias feitas nestes módulos, indicando que a arte pode auxiliar, amplificar as experiências e a criatividade, facilitando o ensino de lógica da programação.

Downloads

Publicado

2019-08-29

Como Citar

BAPTISTELLA OLIVEIRA, C. .; VIEIRA OLIVEIRA, C. L. . Computação Física: arte e ensino de programação. Revista Brasileira em Tecnologia da Informação, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 48-55, 2019. Disponível em: https://www.fateccampinas.com.br/rbti/index.php/fatec/article/view/15. Acesso em: 12 ago. 2020.

Edição

Seção

Artigos